Rússia condena bombardeios ilegais no Iêmen

lavrov

Lavrov: bombardeios aéreos no Iêmen não têm fundamentos legais

A operação aérea liderada pela Arábia Saudita contra as posições dos rebeldes houthis no Iêmen não tem qualquer base legal, segundo afirmou o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

Em entrevista exclusiva ao diretor-geral da agência internacional de notícias Rossiya Segodnya, Dmitry Kiselev, o chanceler disse nesta segunda-feira (6) que “por enquanto, [a operação liderada pelos árabes] não tem nenhum fundamento jurídico internacional”, e afirmou que a Rússia ficou “um pouco decepcionada, para dizer o mínimo, pelo fato de que a operação tenha sido lançada sem qualquer consulta no Conselho de Segurança [da ONU] ou via canais bilaterais”.

Lavrov disse que a Rússia valoriza suas relações com a Arábia Saudita e outros membros da coalizão internacional, mas criticou o fato de que a coligação só tenha pedido a autorização do Conselho de Segurança das Nações Unidas a posteriori.

O Iêmen está passando por um violento conflito entre os houthis e as forças governamentais. Os rebeldes xiitas recentemente tomaram o controle da capital iemenita, Sanaa, forçando o presidente eleito Abd Rabbuh Mansur Hadi a fugir do país. Além disso, o grupo tem feito rápidos avanços em outras cidades e pontos estratégicos.

Em março, uma coalizão liderada pela Arábia Saudita lançou uma operação militar contra as posições dos rebeldes no Iêmen, a pedido do presidente Hadi. Ao longo das últimas duas semanas, as hostilidades em curso já resultaram na morte de 519 pessoas, incluindo 90 crianças, segundo dados da ONU.

O número de mortos subiu vertiginosamente após o início dos bombardeios aéreos liderados pela Arábia Saudita. A escalada do conflito fez com que vários países retirassem seus cidadãos do Iêmen, incluindo a Rússia, a China, os Estados Unidos e a Índia.

Na semana passada, Moscou apresentou um projeto de resolução ao Conselho de Segurança da ONU para conseguir uma pausa humanitária nos ataques aéreos. A proposta ainda será analisada. (Sputniknews)

Sobre Osvaldo Bertolino

Jornalista, natural de Maringá — Noroeste do Paraná.
Esse post foi publicado em Variedades e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s