China e EUA tentam esvaziar “bolhas”

Chineses sinalizam que continuarão financiando déficit norte-americano

Para impedir a formação de bolhas nos mercados imobiliário e de ações, o governo chinês apertou a concessão de empréstimos para financiar ativos fixos. Relatório do Ministério das Finanças mostra que as verbas podem ter sido desviadas, em vez de estimular a economia real.

As regras estipulam que qualquer empréstimo que exceder 5% do investimento do projeto ou que seja superior a 5 milhões de iuans (US$ 732 mil) deve ser desembolsado para as partes contratadas para fazer o trabalho, e não para quem está tomando emprestado. Os novos empréstimos totalizaram 7,4 trilhões de iuans (US$ 1,08 trilhão) no primeiro semestre deste ano.

Nos Estados Unidos, a Securities and Exchange Comission (SEC, que controla o mercado acionário) também apertou o cerco à especulação, adotando diversas medidas para conter a prática abusiva de vendas a descoberto – prática de tomar emprestado e depois vender ações com a esperança de que o preço do papel irá cair.

Ativos chineses

As medidas incluem tornar permanente uma regra temporária aprovada pela SEC durante a crise do mercado, que determina que os corretores comprem ou emprestem prontamente títulos para serem entregues numa venda a descoberto. A China mais uma vez pediu aos Estados Unidos que mantenham uma taxa cambial estável para sua moeda como uma forma de salvaguardar a segurança do gigantesco volume de ativos em dólar do país asiático.

O pedido foi reiterado pelo ministro assistente de Finanças da China, Zhu Guangyao, durante uma entrevista coletiva à imprensa ao final do primeiro dia do novo Diálogo Estratégico e Econômico EUA-China, em Washington.

Entre esses ativos chineses estão mais de US$ 800 bilhões em Treasuries, títulos do Tesouro norte-americano. Zhu disse que o buraco fiscal dos EUA pode ser reduzido gradualmente até que uma recuperação econômica do país, o que pode indicar que a China continuará financiando esse rombo.

A informação é do Monitor Mercantil

 

Sobre Osvaldo Bertolino

Jornalista, natural de Maringá — Noroeste do Paraná.
Esse post foi publicado em China, Crise financeira, Estados Unidos e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s