Lula defende BB estatal e diz que Banespa foi “vendido a troco de nada”

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou duramente a privatização de bancos públicos importantes e disse que, no cenário atual, instituições financeiras como o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal devem se fortalecer e marcar posição no mercado interno, ampliando, por exemplo, a concessão de crédito para empresas e pessoas físicas.

O desabafo do presidente, feito durante reunião do Conselho Diretor do BB, foi direcionado especialmente ao Banespa, que, segundo ele, foi “praticamente doado” e “vendido a troco de nada”.

Em novembro de 2000, no segundo mandato de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), o banco espanhol Santander arrematou o Banespa por R$ 7,050 bilhões, o que representou ágio de 281,02% sobre o lance mínimo de R$ 1,85 bilhão fixado pelo Banco Central, depois de uma farsa monumental montada pelos tucanos para depreciar o banco.

“É nesse momento que a gente vê o acerto do Brasil de ter bancos tão importantes como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica e talvez um arrependimento porque bancos tão importantes para esse País foram praticamente doados, como o Banespa. Foi vendido a troco de nada”, disse o presidente.

Ao comentar as privatizações feitas no passado, ele afirmou que em governos anteriores as instituições iam à bancarrota também pela má gestão de governantes, que utilizavam os recursos dos bancos como caixa dois de campanha.

“Jogou-se em cima dos bancos a irresponsabilidade dos governantes que gerenciavam esses bancos ou utilizavam esses bancos para fazer os ‘caixas dois da vida’ e financiar campanha em época eleitoral e por conta disso todos os bancos públicos estavam quebrados”, ressaltou.

Durante a reunião do Conselho Diretor, o presidente destacou ainda que o crédito dos bancos públicos em 2003 era de cerca de R$ 380 bilhões, ao passo que atualmente o Banco do Brasil individualmente tem disponíveis R$ 200 bilhões para a concessão de crédito.

“Decidimos fazer que a Caixa e o BB aumentassem participação no mercado. A orientação é comprar o máximo de carteira possível dos bancos pequenos. Tomamos a decisão de comprar a Nossa Caixa, em São Paulo, tomamos a decisão de comprar 50% do Banco Votorantim e administrá-lo meio a meio. Tínhamos tomado a decisão de o Banco do Brasil comprar o Besc, o Banco do Piauí e se tiverem outras coisas boas no mercado, que apareçam”.

Ao explicar que as instituições financeiras estatais precisam crescer, o presidente Lula também observou que ainda existe na sociedade brasileira “a mania de ser vira-lata”, mas estimou que o País deverá ser a quinta economia do mundo em um prazo de dez anos.

“Trabalho com a ideia de que daqui a dez anos seremos a quinta maior economia do mundo”, comentou o presidente na reunião. “Sempre nos tratamos como se fôssemos seres inferiores, (há) mania de ser vira-lata. Tudo para nós era superior. Quem é que gosta de alguém que não se respeita? As pessoas gostam de quem tem orgulho das coisas”, declarou.

Com informações do portal Terra

 

Anúncios

Sobre Osvaldo Bertolino

Jornalista, natural de Maringá — Noroeste do Paraná.
Esse post foi publicado em economia, Política e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s