MA festeja 99 anos da comunista Maria Aragão

aaaaamariaaaethel1

 

A militante comunista maranhense, Maria Aragão, completaria 99 anos na terça-feira — ela faleceu em 1991.

 

Para comemorar o aniversário da médica e ativista, a Fundação Municipal de Cultura (Func) promoveu visitações públicas durante todo o dia de terça-feira, de escolas ao Memorial Maria Aragão.

 

As visitas foram acompanhadas de monitores, que fizeram relatos da vida e obra da consagrada de Aragão.

 

O ponto alto da programação foi a apresentação do monólogo “A Besta Fera”, às 19h, de Gisele Vasconcelos com a atriz Maria Ethel.

 

O espetáculo também aconteceu no Memorial e o público teve acesso liberado.

 

A eterna defensora das bandeiras libertárias continua a ser referência para a luta popular do Maranhão.

 

Maria Aragão fez história como líder do Partido Comunista do Brasil, no Maranhão.

 

Médica, ela enfrentou as oligarquias políticas, em pleno regime militar, e sofreu as perseguições promovidas pela ditadura.

 

O espetáculo “A Besta Fera” é uma peça teatral que trata da vida de Maria Aragão.

 

Sua história tem origem na extrema pobreza, mas logo parte em busca da superação da fome, do preconceito, da agressão e da perseguição do sonho de ajudar a humanidade.

 

Através da medicina, Maria Aragão entrega-se às causas sociais, lutando por uma sociedade justa e igualitária.

 

Desse modo, torna-se uma revolucionária, ícone do humanismo.

 

Esta montagem, solo da atriz Maria Ethel, cuja performance cênica evoca a emoção, mostra a militante como símbolo de luta e lição de vida.

 

O texto da peça foi escrito a partir de depoimentos históricos de Maria Aragão e de fatos reais de sua vida.

 

As informações são do Portal Imirante

Sobre Osvaldo Bertolino

Jornalista, natural de Maringá — Noroeste do Paraná.
Esse post foi publicado em Cultura e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para MA festeja 99 anos da comunista Maria Aragão

  1. lluiseyarom disse:

    É hilário como no Brasil homenageia-se pessoas que lutaram contra o Regime Militar não por um Brasil livre e democrático e sim para implantar o comunismo no país como Maria Aragão, amiga da Dilma que na época comandava guerrilha assaltando bancos, assassinando militares e outras cositas mais. É incrível como a Comissão da Verdade ignora os atos e objetivos dos que hoje se consideram vítimas do regime militar como se a luta deles fossem amor a Pátria, quando eram treinados e financiados por Fidel e Stalin.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s